file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Polícia

Acusado de tráfico e tentativa de homicídio é morto pela polícia e sua esposa é presa em flagrante

Cultura&Realidade - 19 de Março de 2018

file-2018-03-19232446.661361-NEILDAdb9a9aa8-2be5-11e8-98f4-f23c917a2cda.jpg

Neilda à dreita e as armas encontradas em sua residência - Fotos: Divulgação PM/Delpol

Na noite desta segunda-feira, 19, a redação do Cultura&Realidade recebeu relatório de ação realizada pelas polícias Militar CIPE Semiárido e Civil, coordenada pela 14ª Corpin – Companhia de Polícia do Interior, constando que denúncia anônima levou policiais às proximidades da rua Irineu Novais, onde uma vítima teria sua vida atentada por Antônio Félix da Silva, vulgo Tonhão.

Após a identificação do autor da tentativa de homicídio, cuja vítima não foi revelada, os policiais fizeram buscas no entorno da localidade, encontrando Tonhão, que recepcionou os policiais, segundo  relato, a tiros. A polícia reagiu e na troca dos disparos, Tonhão foi atingido e levado ao Hospital Regional, mas não resistiu aos ferimentos.

Os policiais informaram na Delegacia, que encontraram ao lado do corpo um revólver calibre 38, usado no tiroteio contra a polícia. Ao se dirigir à residência de Tonhão, os policiais encontraram duas outras armas de fogo, de calibres 38 e 32.  Neilda Dias Silva, agora viúva de Tonhão, se encontrava no local e foi presa em flagrante e conduzida à Delegacia, onde se encontra à disposição da Justiça.

Ainda de acordo com o relatório, Tonhão e Neilda são pais de CATORZE e KINHO, líderes do tráfico de drogas das Ruas da Pedra, Irineu Novais e Rua Dr. Ângelo Dourado (do Brega). A delegacia informou que Tonhão e Neilda eram os responsáveis por liderar o tráfico em nome de seus filhos, onde realizava pagamentos e venda de armas.

“CATORZE e KINHO estão presos na PLB, de onde continuam liderando o tráfico de drogas na região e também o mando de diversos homicídios nesta cidade”, afirmou o relatório emitido pelas polícias Civil e Militar.

Da redação