file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Irecê e Região

Após um ano, família de Lucas, assassinado por engano pela policia, vai às ruas pedir por justiça

João Gonçalves - 09 de Outubro de 2018

file-2018-10-09173109.394468-lucia41651c16-cc02-11e8-8738-f23c917a2cda.jpg

José "Vadinho" e Lúcia Batista, pais de Lucas - Foto: João Gonçalves

As principais ruas de Irecê deverão ser tomadas por amigos e familiares de Lucas Batista Pereira, nesta quarta-feira, 10, para um manifesto pedindo justiça. Nesta data, faz um ano do fatídico caso do seu assassinato, por engano, em uma operação policial questionada pela família da vítima. “Não havia sinais de barreira policial. Conforme o meu sobrinho Ian, que estava junto com ele, não havia nenhuma sinalização, nem ocorreu nenhum aviso de parada, apenas tiros”, relembra Lúcia Batista, mãe de Lucas.

RELEMBRE O CASO - Na noite do dia 10 de outubro do ano passado, Lucas vinha com Ian da comunidade de Macedônia, quando, ao passar pelo Achado, em Irecê, por volta das 19h40, foi surpreendido por tiros, sendo alvejado no ombro, no abdômem e na virilha e em seguida rendido por uma equipe de policiais.

Segundo a polícia, os agentes estavam de prontidão à espera de meliantes que tinham tomado um veículo de assalto em Boa Vista do Tupim e saíram em fuga na direção da região de Irecê. Ainda segundo as informações, o carro tomado de assalto era da mesma marca, modelo e cor, do que estava sendo dirigido por Lucas: um Fiat Strada branco.

O veículo que era objeto da ação policial foi encontrado horas depois em Presidente Dutra, após a polícia, segundo Lucia Batista, seguir a operação, saindo no encalço dos verdadeiros marginais, deixando seu filho na pista, que foi socorrido por Ian, que, sozinho, colocou Lucas na carroceria e o levou para o Hospital Regional.

FASE FINAL DE INQUÉRITO - Até o fechamento desta matéria, o caso ainda não estava concluso pela polícia investigativa. De acordo com o Coordenador Regional da 14ª CORPIN, Dr. Almir Fernandes, por telefone, na tarde desta terça-feira, 9, a reconstituição do fato foi realizada a pedido do Delegado Dr. Ernandes Reis, pelo Departamento de Polícia Técnica da Macroregional, cuja cópia do laudo já se encontra nas mãos do advogado Reinildo Zacarias de Souza, que acompanha o processo em nome da família.

“Recebi na última terça-feira, 2, o resultado da reconstituição e neste momento estou relatoriando para encaminhar ao Ministério Público, até o final da tarde desta quarta-feira (dia 10)” afirmou Dr. Almir.

De acordo com o pai de Lucas, José Luzivaldo Pereira (Vadinho), o manifesto será feito para que o caso não caia no esquecimento. “Espero que, de fato, o Ministério Público receba amanhã o relatório, pois promessas anteriores não foram cumpridas. Até entendemos que as dificuldades da polícia atrapalhem e atrasem a Justiça, mas já não aguentamos mais tanta dor e tanta espera”, finalizou.