Comportamento

Comediante arrecada quase R$ 1 milhão para menino que sofreu bullying

Cultura&Realidade - 21 de Fevereiro de 2020 (atualizado 21/Fev/2020 11h56)

file-2020-02-21115613.543544-Sem_titulo-14de09f32-54ba-11ea-9325-f23c917a2cda.jpg

“Eu quero que as pessoas, pais, educadores saibam que é isso que o bullying provoca" - Foto: Ilustração

O vídeo de um menino com nanismo, chorando após ser vítima de bullying na escola, gerou uma onda de comoção e solidariedade de milhares de pessoas no mundo todo.

Quaden Bayles, 9 anos, foi gravado pela mãe, Yarraka, logo após chegar da escola. Ele chorava muito e pedia para se matar. “É isso que o bullying faz”, diz a mãe no vídeo.

“Eu quero que as pessoas, pais, educadores saibam que é isso que o bullying provoca. Por favor, eduquem seus filhos, sua família, seus amigos. Porque tudo o que precisa é que, por um instante a mais… E vocês se perguntam por que as crianças estão se matando.”

O vídeo foi visto quase 20 milhões de vezes em dois dias. Pessoas de todo o mundo se uniram e levantaram a hashtag #WeStandWithQuaden (Nós Estamos Com Quaden, em tradução livre) para discutir sobre o ocorrido e o que podemos fazer para combater o bullying.

 


Famosos como o ator Hugh Jackman e o jogador de basquete Enes Kanter se somaram à causa em seus perfis nas redes sociais.
Jackson disse a Quaden: “Você é mais forte do que imagina, companheiro” e pediu a todos que “sejam gentis”.


“Fiquei tão chocada. Sinceramente, acho que ele nem saberia o que ou como fazer aos seis anos de idade. Eu expliquei a ele que quando você vai, não há volta, você se foi para sempre, mas ele ainda continuou tentando”, disse a mãe.

Repercussão
Outra hashtag global, #StopBullying, foi levantada no Twitter nesta sexta-feira (21), onde os usuários vêm descrevendo suas próprias experiências com atos de agressão, coerção e abuso.

Pessoas do mundo todo, inclusive crianças, postaram mensagens de solidariedade.


Equipes de rugby da Austrália convidaram o menino para liderá-los em uma partida neste fim de semana.
Vaquinha


O que mais chamou a atenção foi uma vaquinha virtual criada pelo comediante americano Brad Williams, 36 anos, que conseguiu arrecadar US$ 210 mil (R$ 924 mil e contando!) em questão de horas para a família de Quaden (o objetivo era US$ 10 mil, valor ultrapassado em minutos).

Ele pretende levá-los para a Disney e doar o restante do valor para instituições que realizam ações de anti-bullying.
“Isso não é apenas para Quaden, é para quem sofreu bullying na vida e ouviu que não era bom o suficiente”, escreveu ele na página de arrecadação de fundos.

Brad tem o mesmo tipo de nanismo que o garoto australiano, chamado acondroplasia, um transtorno na ossificação das cartilagens do feto caracterizado por membros curtos.

“Vamos mostrar a Quaden e aos demais, que há coisas boas no mundo e que eles são dignas delas!”.


Com conteúdo de razões para acreditar