file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Saúde

Estranhos chamados para UTI Móvel estão gerando conflitos entre os SAMUs de Brotas de Macaúbas e Ipupiara

Cultura&Realidade - 05 de Maio de 2018

file-2018-05-05125149.398489-ede38ce5420-507c-11e8-8176-f23c917a2cda.jpg

Edvaldo Sodré afirma que há anormalidades nas chamadas para regulação de pacientes de Brotas de Macaúbas - Foto: Extraída do Facebook

Repercutiu em diversas regiões da Bahia, matéria publicada no site “O Cristal”, da cidade de Ipupiara. Com o título “Chamadas indevidas dos serviços de UTI Móvel, por profissionais de Brotas de Macaúbas a Ipupiara, estão gerando conflitos entre os gestores de saúde dos dois municípios”, a matéria evidencia que chamadas de emergência, para procedimentos da UTI Móvel, unidade de Ipupiara, estariam sendo feitas em desacordo com os protocolos dos serviços, definidos pelo Ministério da Saúde.

A matéria ressalta que “os setores de saúde dos vizinhos municípios de Ipupiara e Brotas de Macaúbas estão enfrentando dificuldades para o desenvolvimento conjunto de ações no âmbito dos Serviços de Atendimento Móvel de Urgência. Os dois municípios dispõem da cobertura do SAMU, sendo que Brotas de Macaúbas tem unidades básicas, com serviço de condutor e técnico de enfermagem. Ipupiara, além de unidades básicas, conta com UTI Móvel, com equipe especializada formada por um condutor, enfermeiro e médico, com equipamentos para atendimento de maior complexidade. Os dois municípios tem chamadas controladas pela central de Barreiras”, informa “O Cristal”.

Ainda de acodo com o texto, o custo operacional de cada saída de uma UTI Móvel, gira em torno de R$ 1.600,00 (hum mil e seiscentos reais). Ultimamante, segundo levantamento da reportagem do site, tem aumentado as chamadas de urgência no município de Brotas de Macaúbas, para casos de maior complexidade, para pacientes regulados para Ibotirama ou Barreiras.

De acordo com informações da coordenação do SAMU de Ipupiara, duas chamadas da central chamaram a atenção. “Uma dizia que havia uma parturiente em situação crítica. Ao chegar no local, era um homem que estava necessitando do socorro. A outra apontava uma mulher com Acidente Vascular Cerebral (AVC) e estava sedada. Uma vez sedada, tivemos de levá-la ao Hospital do Oeste, em Barreiras, mas lá, segundo relato dos profissionais de saúde, não havia sinais de AVC e a paciente teria sido sedada desnecessariamente”, salienta o coordenador do SAMU de Ipupiara, Edvaldo Sodré.

Secretário de Saúde de Brotas de Macaúbas contesta

Procurado pelo Cultura&Realidade, para contar a sua versão, o secretário de saúde de Brotas de Macaúbas, Léo Brito rechaçou as acusações. De acordo com ele, “o nosso município sempre procura trabalhar com verdade e honestidade, sempre prezando pelo bom atendimento a todos os pacientes. Negamos todas as acusações, nossa equipe  de saúde é capacitada e passa por treinamentos frequentes. Temos médicos, enfermeiros, técnicos e equipe de apoio completa, que presta serviço para o nosso hospital municipal e SAMU, com atendimento 24h.”, salientou.

Ele disse ainda que “já conversamos com a coordenação regional do SAMU, estamos reunindo documentação e vamos tomar as providências cabíveis”, anunciou, dizendo que não procedem as afirmações de que um homem foi regulado, em vez de uma parturiente, e que não confere com a realidade a informação de que uma paciente foi sedada indevidamente para forçar uma regulação.

Coordenador do SAMU de Ipupiara reforça denúncia

Edvaldo Sodré confirmou as denúncias, afirmando que diversos profissionais de saúde dispõem dos elementos de prova sobre o conteúdo das informações.