file-2017-02-08175959.335653-Banner-CR-topo-notcia_22b9a9f62-ee39-11e6-aece-047d7b108db3.jpg

Educação

Estudantes do CETEP realizam ação social no centro de Irecê: distribuição de saberes

Tamires de Castro - 19 de Junho de 2018

file-2018-06-19111132.732258-CETEPab2e461c-73ca-11e8-8738-f23c917a2cda.jpg

Estudantes foram para o centro da cidade, devolver à comunidade o resultado social do aprendizado - Foto: Divulgação

A formação profissionalizante no Território de Irecê ganha força com o CETEP – Centro Territorial de Educação Profissional de Irecê. Alguns anos atrás, era muito difícil frechar o ano letivo com mais de 100 estudantes. As transformações ocorridas fizeram com que, atualmente, cerca de 1.000 alunos disputem as vagas formativas. Anualmente os professores e alunos desenvolvem atividades que levam o ambiente escolar para a comunidade. Começou com serviços nos bairros. Há dois anos, o método se tornou mais prático, em razão da logística e este ano ocorreu a segunda edição do “CETEP na Praça”.

Matéria publicada no site oficial da Secretaria Estadual de Educação destacou esta semana que mais de 800 estudantes que fazem os cursos técnicos ofertados pelo CETEP, localizado no município de Irecê, prestaram diversos serviços gratuitos à comunidade, na sexta-feira (15), como aferição da pressão arterial e orientação nutricional, durante a segunda edição do “CETEP na Praça”, realizado na praça principal da cidade. A iniciativa visa divulgar para a população os cursos e o trabalho realizado pelo centro, que todos os anos recebe estudantes de 14 municípios da região. A experiência possibilita que os estudantes vivenciem situações características ao exercício das futuras profissões.

O diretor do CETEP, Carlos Ney Nascimento, ressaltou a importância do evento. “A iniciativa tem o objetivo de mostrar para todo o Território o potencial dos cursos ofertados na unidade, através de projetos e ações desenvolvidos pelos estudantes, fazendo com que as pessoas conheçam e valorizem o trabalho realizado pelo CETEP”, destacou.

Medição da Diabetes, tensão arterial e outros serviços - Foto: Divulgação

Para a realização da feira, foram montados oito estandes relacionados aos cinco eixos tecnológicos e 12 cursos ofertados na unidade como: Análises Clínicas, Nutrição e Dietética, Enfermagem, Segurança do Trabalho, Agropecuária, Agroecologia, Meio Ambiente, Administração, Comércio, Logística, Publicidade e Cozinha.

Com o foco na sustentabilidade e preservação do meio ambiente, várias mudas de plantas ornamentais e medicinais, além de adubos orgânicos produzidos no CETEP, foram trocadas por quilos de alimentos não perecíveis que serão doados para a população carente da cidade. Outra iniciativa voltada para o bem-estar da população foi o espaço de acolhimento aos idosos, onde eles puderam descansar e relaxar durante o evento.

Para animar ainda mais o público participante, os estudantes fizeram apresentações musicais e declamaram poesias e cordéis. Outros destaques, foram as apresentações de grupos juninos e uma roda de capoeira, colocando os visitantes no clima dos festejos juninos.

No estande do curso técnico em Nutrição e Dietética, os estudantes fizeram orientações nutricionais, alertando as pessoas sobre os riscos do consumo exagerado de açúcar e sal. “É muito bom poder levar informações de cuidados com a saúde para a comunidade em um evento aberto ao público. No nosso estande, mostramos a quantidade de açúcar e sódio presente em diversos produtos industrializados, como uma forma de alertá-los sobre o uso”, informou a estudante Valterluci Amado Felix, 28.

Visando o empreendedorismo, em outro estande relacionados aos eixos de Saúde e Gestão e Negócios, os estudantes venderam produtos típicos juninos produzidos por eles feitos com ingredientes da Agricultura Familiar, a exemplo de paçoca de gergelim, diversos chás, cuscuz com frango, bolo de milho, maçã do amor, tortas e pipoca gourmet, que é caramelizada ou banhada com chocolate, leite em pó e coco. A renda obtida nas vendas será utilizada para a comemoração do Dia do Estudante.

A estudante do curso técnico em Análises Clínicas, Érica Diodato de Lima, 25, realizou testes de tipagem sanguínea justamente com os colegas. “Foi muito gratificante poder colocar em prática o que aprendemos no curso, pois muitas pessoas não sabiam seus tipos sanguíneos. Além disso, também as conscientizamos sobre a importância de se doar sangue para salvar vidas”, afirmou.