Irecê e Região

Fisioterapeuta confessa ter encomendado a morte da jovem Rafaela, em Lapão

Cultura&Realidade - 27 de Novembro de 2019

file-2019-11-27162327.755032-Sem_titulo-1637cbfa4-114b-11ea-955b-f23c917a2cda.jpg

O delegado afirmou ainda que o caso foi resolvido após abrir uma linha de investigação, que ajudou a chegar até Victor Matos, suspeito de ser o mandante do crime. - Foto: Redes Sociais

 

A pista de acesso ao centro da cidade de Lapão e a Vila Castro, foi interrompida na manhã desta quarta-feira, por amigos e familiares da jovem Rafaela Gomes de Souza, que segundo a Polícia Civil foi assassinada a mando do fisioterapeuta Alfredo Matos. Os manifestantes pedem que se faça justiça.

A jovem Rafaela Gomes de Souza, 27 anos, que estava desaparecida há quase uma semana da cidade de Lapão, segundo a polícia, foi assassinada. 
De acordo com as investigações, a morte da jovem, teria sido encomendada pelo fisioterapeuta Alfredo Victor de Oliveira Matos que estaria envolvido num relacionamento amoroso com a jovem. Ainda segundo a polícia, a morte de 
Rafaela foi encomendada por ele e motivada por ‘chantagens’ que o fisioterapeuta teria sofrido por parte da vítima, segundo disse o autor, em depoimento ao delegado Geraldo Vila Boim, titular da DT/Lapão, que investiga o caso.

Segundo o delegado Vila Boim, o motivo teria sido passional. A polícia ainda procura os suspeitos de participação no crime, dentre eles, Eriton Dias, vulgo "Rato". 


Ainda segundo as investigações, a jovem foi morta no mesmo dia do desaparecimento. O corpo dela ainda não foi encontrado.

RETROSPECTO -  Rafaela Gomes, moradora do bairro Via Castro – região periférica da cidade – desapareceu na última quarta-feira (20), após receber uma ligação no celular, por volta das 20h30, e não retornou mais.

O delegado afirmou ainda que o caso foi resolvido após abrir uma linha de investigação, que ajudou a chegar até Victor Matos, suspeito de ser o mandante do crime – com quem a vítima mantinha um relacionamento. Ao ser ouvido em primeiro momento, ele disse que a jovem teria sido sequestrada, e por medo, a família não procurou a polícia. Em outro momento, diante das evidências e acompanhado de um advogado, ele confessou o crime em depoimento à autoridade policial.
A polícia realiza diligencias para localizar o corpo da jovem, que, segundo Victor Matos, teria sido levada no porta-malas de um veículo e morta na região de Presidente Dutra.

Da Redação com informações da Caraíbas.