Economia

Inflação oficial desacelera para 0,07% em março, menor taxa para o mês desde início do Plano Real

Cultura&Realidade - 09 de Abril de 2020 (atualizado 09/Abr/2020 12h33)

file-2020-04-09123347.360465-merc81165bde-7a77-11ea-b070-f23c917a2cda.jpg

O centro da meta da inflação para o ano de 2020, feito pelo Banco Central, é de 4% Foto: JF Diório/Estadão

Preços das passagens aéreas já vinham em queda nos últimos meses; Ainda não é possível afirmar se o recuo deste mês tem relação com o coronavírus

Mariana Durão e Luísa Laval, O Estado de S.Paulo

A inflação oficial do país desacelerou para 0,07% em março, depois de registrar alta de 0,25% em fevereiro, como aponta o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), divulgado nesta quinta, 9, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o menor resultado para o mês de março desde o início do Plano Real, em julho de 1994. No ano, o indicador acumula alta de 0,53% e, no acumulado dos últimos 12 meses, encerrados em março, 3,30%.

LEIA TAMBÉM >Mercados internacionais apresentam alta com expectativa de pico de casos de novo coronavírus

Embora a maior queda do índice tenha sido registrada nos artigos de residência (-1,08%), a contribuição negativa que puxou a inflação para baixo foi do grupo dos transportes (-0,90%), com mais um recuo nos preços das passagens aéreas (-16,75%) e dos combustíveis (-1,88%). Todos os combustíveis caíram em março: etanol (-2,82%), óleo diesel (-2,55%), gasolina (-1,75%) e gás veicular (-0,78%).

De acordo com o IBGE, os preços das passagens aéreas já vinham em queda nos últimos meses. Por isso, o Instituto diz que ainda não é possível afirmar se o recuo deste mês tem relação com a propagação do novo coronavírus

Um dos setores com maior alta inflacionária no mês foi o de alimentos. As maiores altas foram registradas nos preços da cenoura (20,39%), da cebola (20,31%), do tomate (15,74%), da batata-inglesa (8,16%), do ovo de galinha (4,67%). Por outro lado, as carnes caíram (-0,30%) pelo terceiro mês consecutivo, ainda que o recuo nos preços tenha sido menos intenso na comparação com fevereiro (-3,53%).

INPC

 Já o Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC) subiu 0,18% no mês passado, após ter registrado alta de 0,17% em feveireiro. No acumulado do ano, o índice acumula crescimento de 0,54% e avanço de 3,31% nos últimos 12 meses.

O INPC mede a variação dos preços para famílias com renda de um a cinco salários mínimos e chefiadas por trabalhadores assalariados.

Coleta de preços remota

Pela primeira vez, o IPCA e o INPC foram elaborados com dados obtidos de forma remota. Em março, o IBGE suspendeu a coleta presencial nos locais de compra devido à pandemia do novo coronavírus. A partir dessa data, estão sendo coletados por outros meios, como pesquisas realizadas em sites de internet, por telefone ou por e-mail.