POLÍTICA

Iniciativa da Vereadora Meirinha desengaveta lei criada 20 anos atrás e instala Conselho Municipal de Mulheres

Cultura&Realidade - 13 de Março de 2019

file-2019-03-13184005.229754-sessao9092c0ae-45d8-11e9-87b9-f23c917a2cda.jpg

Câmara de Vereadores recebeu nesa terça-feira, 12, Audiência Pública destinada a refletir temas de interesse das mulheres - Foto: Gilberto

Refletir o contexto histórico dos avanços das políticas voltadas para as mulheres, a violência crescente e a sua prevenção, ocupação dos espaços das mulheres nas diversas instâncias, combater o machismo e misoginia, dentre outras bandeiras, tem sido as razões das diversas atividades desenvolvidas em Irecê, voltadas para refletir o papel social das mulheres, organizadas pelo Coletivo Feminino do Território, em ciclo de ventos programados por ocasião do Dia Internacional da Mulher.

Na noite desta terça-feira, 12, ocorreu uma Audiência Pública na Câmara de Vereadores, com participação de representantes do Poder Executivo, de parlamentares, das polícias civil e militar e lideranças dos movimentos sociais feministas.

O encontro foi prejudicado pelo mau funcionamento do sistema de som do ambiente e por falas longas e pouco propositivas.  

Uma das conquistas importantes no atual contexto municipal do movimento das mulheres, foi a instalação do Conselho Municipal de Mulheres, cuja composição foi apresentada durante a audiência, já com publicação no Diário Oficial.

O resultado foi fruto de diversas investidas da vereadora Meirinha, que viabilizou o desengavetamento de uma lei criada vinte anos atrás, pela ex-vereadora Ana Carolina (PCdoB), que foi sancionada em 1999.

“Sem a nomeação e posse das conselheiras, a lei se tornou sem nenhum valor prático. A nossa peregrinação para a instalação do Conselho vem desde 2016, quando procurei a Secretaria da Câmara, na expectativa de apresentar Projeto de Lei, criando este importante organismo. Não sabia que tinha uma lei anterior. Ao ser informada da sua existência, procurei a Secretaria de Desenvolvimento Social, quando soube que nunca fora instalado. A partir daí, começamos as articulações políticas para viabilizar o ato, que ocorreu esta semana. Estou muito feliz com o resultado e só tenho a agradecer às pessoas que contribuíram, especialmente ao prefeito Elmo Vaz que foi sensível ao nosso pleito. Agora, espera-se que as conselheiras possam ter condições de trabalho, de forma efetiva, para que se tenha os resultados esperados. Nosso mandato coletivo continua à disposição da evolução deste processo”, disse a vereadora da REDE, à reportagem.