POLÍTICA

Mestranda é ameaçada e ‘linchada’ virtualmente após ser exposta por Eduardo Bolsonaro

Cultura&Realidade - 26 de Março de 2019

file-2019-03-26154503.698544-eduardo_bolsonaro448afeb4-4ff7-11e9-a938-f23c917a2cda.jpg

Eduardo Bolsonaro usa twitter pra debochar de mestranda Foto: Reprodução Twitter

A aluna Cris Guimarães Cirino da Silva, mestranda no programa de pós-graduação em Letras da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), está sendo perseguida por apoiadores de Jair Bolsonaro. Isso graças a uma postagem no Twitter do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

A reação ocorreu depois que o filho de Jair Bolsonaro fez uma postagem no Twitter. “Alguém me diga que isso é mentira… Não sei se dou risada ou se choro”, postou o deputado junto à imagem de um slide onde aparece o tema do trabalho da aluna: “A Bolsonarização da esfera pública: Uma análise Foulcatiana sobre (RE) produção de memes a partir dos discursos de ódio nas falas de Bolsonaro”.

Alguém me diga que isso é mentira... Não sei se dou risada ou se choro. https://t.co/Ptd97UjlAu

— Eduardo Bolsonaro (@BolsonaroSP) 23 de março de 2019

 

A partir do comentário de Eduardo, Cris passou a ser atacada nas redes sociais por simpatizantes do presidente. Em seguida, a violência saiu da internet e foi para as ruas: ameaçaram quebrar seu carro na universidade.

O professor doutor Leonard Christy Souza Costa, orientador de Cris, saiu em defesa da aluna no Facebook:

Confira a íntegra da mensagem do professor:

Fui surpreendido com uma foto do primeiro slide de apresentação da minha orientanda que pesquisa sobre Bolsonaro, fake news e memes viralizando na internet. Na divulgação das mídias sociais, algumas pessoas interpretaram que havia uma defesa de dissertação de mestrado. Não ainda. Foi uma apresentação em um seminário de metodologia promovido pelo Mestrado em Letras da Ufam.

Ainda em 2019, ela deve qualificar a dissertação para somente aí se preparar para a defesa, ano que vem.

Ela é uma ótima aluna, e o trabalho caminha muito bem. Por que tanta repercussão?

Porque o trabalho lembra as fake news do Presidente Bolsonaro. A técnica não é difícil. Coletam-se posts onde o discurso de ódio está presente, assim como fake news também. Após fazer isso, se busca explicação analítica dentro do pensamento de Foucault. É uma pesquisa no âmbito da Análise do Discurso.

Parece que o resultado de tanta reverberação se deve ao fato de, supostamente, estarmos doutrinando pessoas. Espalhando o marxismo através de mecanismos vis para fazer que, assim, o PT retorne ao poder, implementemos uma República Bolivariana e, então, o comunismo chegue de vez ao planalto.

Ora, além dessa visão ser absurda e nonsense, ela é facilmente desmontável. Procurei demonstrar o autoritarismo e o lado fake news em um artigo escrito em coautoria com meu amigo Éderson Silveira. Segue o link do trabalho, intitulado Efeito Bolsonaro. Anatomia do autoritarismo. Há no livro que coleta esses artigos, aliás, excelentes textos. A distribuição é online e gratuita.

 

O Bolsonaro dispara fake news (basta ler o artigo) e é um sério risco para a democracia brasileira. O mesmo ato de violência que ameaça uma mestranda de depredação do seu carro, corrobora com o fuzil substituindo a diplomacia e a autocracia substituindo a democracia.

É preciso falar, se posicionar, criticar, caso não queiramos ver o Brasil ter uma Constituição feita, não por motivos jurídicos, mas por motivos autoritários.

A Democracia é mais importante que a direita e a esquerda.

A violência é uma lâmina que fere a quem recebe a facada, tanto quanto quem a utiliza.

Da redação, com informações do site Fórum