Economia

Superação: com Síndrome de Down, amigos rejeitados pelo mercado de trabalho abrem pizzaria de sucesso

Cultura&Realidade - 20 de Julho de 2019

file-2019-07-20105925.082873-OK950d4838-aaf6-11e9-9625-f23c917a2cda.jpg

Fundadores da Los Perejiles, serviço de pizzaria para eventos. - Foto: Ilustração

Após serem rejeitados pelo mercado de trabalho, quatro jovens que têm em comum a Síndrome de Down juntaram-se e abriram o próprio negócio. Os garotos que sofrem com a condição, muitas vezes são cheios de idéias, vontade de trabalhar, lutam pelos seus sonhos e consequentemente acabam por ter um enorme sucesso no mercado de trabalho.

Em San Isidro, na Argentina existe uma empresa chamada “Los Perejiles”, é uma pizzaria, mas que também prepara canapés e outros petiscos para venderem para eventos, essa empresa está a ter um enorme sucesso na Argentina e cada vez tem mais clientes. Você só tem de ligar e eles deslocam-se ao evento, preparam toda a comida e no final arrumam e deixam tudo conforme estava, limpinho e arrumado.

A idéia partiu de seis amigos que sofrem de Síndrome de Down e que apesar de terem muita vontade de trabalhar, não conseguiam arranjar emprego no mercado de trabalho. Então eles tomaram uma decisão radical, sabendo que tinham potencial, juntaram-se a abriram a sua própria empresa. Eles anunciaram a empresa conforme podiam, nas redes sociais e distribuindo panfletos, e ao fim de apenas 2 meses no ativo eles já tinham mais de 25 eventos agendados.

Telam Lopez, professor e que ajudou voluntariamente estes jovens a lançarem o projeto afirmou: “Los Perejiles começou a nascer quando explicamos às mães destes meninos as dificuldades que eles iriam ter no mercado de trabalho, porque os meninos iam para um colégio especial supostamente os formariam para o mercado de trabalho, mas que no final acabam sempre por ali, sem conseguir emprego embora com formação”.

Uma das grandes qualidades desta empresa é a organização, sem sombra de dúvida. Para qualquer evento que são contratados os “Prejiles” chegam lá com as suas ferramentas de trabalho e os ingredientes necessários. Lá, distribuem as tarefas entre si, e até agora contam que ninguém fez perguntas estranhas, nem sentiram olhares desagradáveis, antes pelo contrário sempre têm sido tratados com muito respeito.

Acima de tudo estes jovens deram uma grande lição a todos aqueles que lhes recusaram um posto de trabalho. Eles são tão competentes como qualquer outra pessoa, e não precisam da piedade de ninguém para vingarem no mercado de trabalho. Há males que vêm por bem, e neste caso ainda bem que ninguém lhes deu trabalho noutra empresa.

Da redação, com conteúdo do site Tuga.press